Menos será ou é mais nos jogos de contar histórias?



Falta um pouco a mais do que trinta dias para entrarmos no calendário clássico do evento RPGênesis. Preparar para digitar acima de quatro mil palavras é um desafio e tanto. Mas gostaria de ser audacioso em agregar uma nova proposta. Em prol do movimento minimalista acredito que o jogo de contar histórias - RPG para quem é do meu círculo de amizade - pode ter algum benefício. Esse benefício é o entendimento nas regras do jogo em razão do curto espaço de tempo.

O minimalismo me fascina. Sempre fui a favor da transmissão e interpretação econômica da informação. No escopo dos jogos de contar histórias sinto incomodado em ler volumes de textos e apenas usar poucos recursos por inúmeros percalços. Apenas com 2 jogos - The Shotgun Diaries, do John Wick e Postmortem do Jairo Borges - consegui explorar tudo em até 3 sessões jogáveis.

Outras publicações que tenho a impressão de utilizar todos os recursos do jogo em até 3 sessões são:


Eu desejo estar no nível destes autores. É sensacional a forma como o fardo de ser responsável por memorizar todas as regras é completamente polido com estes jogos. Acredito que um caminho do qual persistirei e confio que seja o mais correto é montar um anexo de 2 páginas, no máximo, explicando todas as regras do jogo. Este anexo servirá como base para construir o meu próximo jogo de contar histórias para o próximo RPGênesis.

Agora é aguardar o resultado desta manobra em Agosto e observar o resultado.

0 comentários:

Postar um comentário

My Instagram